domingo, 14 de maio de 2017

0

Séries que viciam: Once Upon a Time

Foto daqui

Assim como a maioria das séries que eu viciei, Once Upon a Time estava na minha lista há tempos e só comecei a assistir porque meu irmão e minha mãe falavam muito dela. Assisti o primeiro episódio e achei interessante. Mas depois do segundo… amei! Maratonei de tão viciante que é! Garantiu fácil o lugar no meu “top 10”. E já que falei disso, acho que eu não consigo escolher as dez melhores porque eu só assisto quando realmente gosto, mas ok.

Henry e Emma - Foto daqui

Tudo começa com um menino, Henry (Jared S. Gilmore), que sai em busca da mãe biológica, Emma (Jennifer Morrison), e tenta convencê-la de que ela é a salvadora, a única que pode quebrar a maldição que a Rainha Má (Lana Parrilla) colocou no Reino, que agora é uma cidadezinha chamada Storybrooke onde vários personagens de contos de fadas moram há 28 anos.

Branca de Neve e Encantado ♥ - Foto daqui

Além destes, temos a Branca de Neve (Ginnifer Goodwin), o Príncipe Encantado (Joshua Dallas), Rumpelstiltskin (Robert Carlyle), Bela (Emilie de Ravin), Capitão Gancho (Colin O'Donoghue)… e muitos outros! ♥

Rainha Má - Foto daqui

Sabe todos aqueles contos de fadas que você conhece desde criança? Esqueça-os. A série transforma as histórias, mas com os mesmos personagens, de um jeito que é impossível desgrudar dos episódios. Tudo muito bem feito. Sem contar que alguns passam belas mensagens.

Bela e Rumpelstiltskin - Foto daqui

Muita coisa acontece até o tão esperado final feliz.

Capitão Ganho - COISA LINDA! - Foto daqui

A série foi lançada em 2011 e hoje chega ao final da 6ª temporada. Na Netflix é possível assistir até a 5ª! A única coisa triste que já foi anunciada até pelos próprios atores, é que metade do elenco está fora da 7ª temporada: Jennifer Morrison (por escolha da atriz), Ginnifer Goodwin, Joshua Dallas, Jared S. Gilmore, Emilie de Ravin e Rebecca Mader. Já bateu saudades...
De acordo com o que foi divulgado em diversos sites, a nova temporada terá como base as histórias de Regina, Gold e Killian. Será que a série vai conseguir manter a audiência? Na minha opinião, a série deveria acabar agora, com todo o elenco principal presente. Algumas séries acabam sendo "empurradas com pouco conteúdo" e acabam perdendo a qualidade. Tomara que isso não aconteça com Once Upon a Time!

Mesmo com essa notícia triste, ainda recomendo muito a série. Vale a pena assistir.
Vou deixar o trailer, para não perder o costume.


E sim, VICIA!

quarta-feira, 19 de abril de 2017

0

#Série: 13 Reasons Why (e alguns motivos para ter cuidado quando assistir)


Essa semana terminei de assistir 13 Reasons Why e posso dizer que quase fiquei pra baixo. Vou explicar o motivo...
Para quem ainda não ouviu falar (o que acho difícil), 13 Reasons Why é a nova série da Netflix, com 13 episódios e conta a história de Hannah Baker, uma adolescente que entra em depressão e decide se suicidar após passar por diversas situações difíceis. Antes disso, ela grava 13 fitas com os "porquês" que a fizeram tomar essa decisão. Cada pessoa envolvida recebe as fitas e deve ouvir na sequência, e depois passar para a próxima pessoa que foi um dos "porquês" para que ela também saiba como colaborou com essa atitude. Todos os envolvidos saberão os segredos, as dores, os medos, e precisam descobrir como lidar com isso. Pesado, né?


Quem começa a série com as fitas é Clay Jensen. Ele não imaginava que seu nome está nas fitas e, quando descobre, não consegue entender o que fez para Hannah para ter se tornado um dos motivos. Os problemas de Hannah são tão difíceis de absorver, por saber tudo que a fez tomar essa decisão, que ele não consegue ouvir todas as fitas de uma vez como os outros fizeram e demora bastante para chegar na fita que fala sobre ele. Mas as atitudes que ele tomou depois influenciaram bastante a realidade dos outros garotos.


Vários temas são abordados: bullying, estupro, drogas, álcool, depressão... coisas que diversos jovens pelo mundo passam e que às vezes não sabem lidar com isso.

Algumas cenas são bem fortes e tem aviso de gatilho no início do episódio. Com razão. E é por esse motivo que achei importante escrever esse post. Se você já teve depressão, ideias suicidas ou passou por situações parecidas com os temas que citei ali em cima, assista a série com cuidado (ou nem assista) pois ela pode mexer bastante com você.


Logo no início, você já sabe que é sobre a morte de uma garota. Ou seja, não tem final feliz.
Outra coisa que a série te faz pensar é se tem alguma "Hannah" perto de você. E como um amigo disse, bate aquele medo de ser o porquê de alguém.

Todos os personagens da série enfrentam algum tipo de problema e talvez você se identifique com algum ou conheça alguém que passa (ou passou) por isso.


O final da série não dá um desfecho para a história de todos, o que nos faz pensar que a 2ª temporada tem grandes chances de ser filmada. Em geral, é uma série boa, muito bem feita e com jovens atores muito talentosos. Mas ainda acho que precisa ter cuidado ao assistir.


E a série tem sim um lado positivo: mostrar que às vezes as pessoas sofrem em silêncio e precisamos atender quando ouvimos um pedido de ajuda, mesmo que ele não seja direto. Quem sofre como a Hannah, carrega um peso muito grande sozinho. Depressão não é frescura, não é drama, não é pra fazer cena. Depressão é um problema que precisa SIM ser tratado. E uma coisa muito importante que todo mundo precisa saber: procurar ajuda não é vergonha e não significa fraqueza.

Já que falamos sobre suicídio, quero deixar uma informação importante. O CVV - Centro de Valorização da Vida realiza apoio emocional e prevenção do suicídio, atendendo voluntária e gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo por telefone, email, chat e Skype 24 horas todos os dias. Se precisar conversar, mas não se sente a vontade de falar com um amigo ou familiar, ligue para o número 141 e fale com um voluntário.

domingo, 5 de março de 2017

0

Filme: Logan

Foto daqui

Ontem fui ao cinema assistir "Logan" e preciso dizer que fiquei um pouquinho frustrada. Mas calma, eu explico o motivo.

Começando pela parte boa...
Eu fiquei chocada com a intensidade do filme, que se passa em 2029. As cenas de ação e as lutas são muito bem feitas. Nunca vi tanto sangue e violência em um filme do Wolverine (ou dos X-Men), mesmo que seja uma característica do personagem (se você não sabe, ele não foge nunca de uma briga).

Foto daqui

A atuação de Hugh Jackman é perfeita! Nunca imaginei ver um Logan daquele jeito, cansado e doente, totalmente diferente do que vimos nos outros filmes. O mesmo vale sobre a atuação de Patrick Stewart, foi incrível! Ver o Professor Xavier com noventa anos e tão diferente do último filme mexeu comigo. Realmente os dois precisavam participar desse último filme. Dois atores excelentes, que merecem muitos elogios e que fizeram um trabalho incomparável. Ninguém interpretaria Logan e Xavier melhor do que eles. Sou fã!

Foto daqui

A participação de Dafne Keen, no papel de Laura, também merece elogios. Como imaginar uma menina de 11 anos interpretando tão bem uma personagem tão forte? Ela arrasou! E tá só no início da carreira como atriz. Preciso dizer que a carinha de brava que ela fazia era uma coisa fofa!

Sobre a parte que me deixou frustada, vai ter SPOILER. Então se quiser ler, selecione a parte em branco, mas saiba que só recomendo para quem já assistiu...

Gif daqui

O filme estava sendo muito bom, com toda a ação e a chegada da Laura, a nova mutante, até que mais ou menos no meio do filme, o clone do Logan, uma das experiência do Dr. Zander Rice, aparece na casa da família que os recebeu uma noite, entra no quarto em que o Professor Xavier estava (enquanto ele lembrava do incidente em Westchester, onde os outros X-Men morreram porque ele perdeu o controle do próprio poder) e mata ele. EU FIQUEI ARRASADA! Já tinha sofrido quando ele morreu "a primeira vez" em X-Men - o Confronto Final, e pirei quando ele voltou (de uma forma que até hoje não entendo bem, mesmo assim achei foda) nas cenas pós-créditos. Mas perder todos os X-Men assim? Isso já estragou um pouco o filme, NA MINHA OPINIÃO e considerando que não li os quadrinhos onde realmente eles morrem - porém de outra forma, pelo que pesquisei - o que continua sendo triste). Precisamos seguir em frente, né? Foi nisso que tentei pensar. Aí no final - spoiler ainda mais pesado - Logan morre lutando com o clone maldito que matou o professor. Laura tenta salvar seu pai, mas já é tarde demais. A cena é de partir o coração. Além disso, nem dá pra saber se as crianças mutantes conseguiram atravessar a fronteira. Acho que ao longo dos anos, Logan passou por muita coisa e perdeu muitas pessoas que amava, por isso eu esperava um final melhor para ele e para todos os outros mutantes que morreram. 
E é por isso que não gostei tanto do filme. Dou nota 7, porque apesar dos acontecimentos, a atuação do trio é incrível. Eles sim merecem nota 10.



Foto daqui

Sempre fui fã dos filmes dos X-Men (e do desenho que passava de manhã no SBT), mas ainda não tive a oportunidade de ler os quadrinhos. Vi comentários de fãs que acham que o filme seguiu a essência das HQs e consideram Logan o melhor filme de todos. É uma questão de opinião. Talvez, se eu tivesse lido as HQs, teria achado o filme nota 10 também.

Para quem ainda não viu o trailer:


Logan está em cartaz desde o dia 03 de março e não é recomendado para menores de 16 anos.

sexta-feira, 3 de março de 2017

0

Filme: Como Eu Era Antes de Você (Me Before You)

Foto daqui

Um post bem atrasadinho, né? Eu sei. Ficou nos rascunhos e fiquei ausente do blog por um bom tempo de novo... desculpa! Mas eu só queria dizer que o filme é MARAVILHOSO!

Quase desidratei de tanto chorar e precisei de terapia, mas quero muito ver de novo. Desde "Marley & Eu" eu não chorava tanto por causa de um filme! Juro!

Agora me responde uma coisa: como não se apaixonar por essa história?
C-O-M-O?

Todos sabem que é um drama, que você vai chorar e tal, mas a lição que a história passa é perfeita. Temos que VIVER INTENSAMENTE (#LiveBoldly), da melhor maneira possível.


Achei bem fiel ao livro (tem post sobre ele, clica aqui se quiser ler), mas como todo filme baseado em livro, é óbvio que faltam algumas coisas. E sentimos isso principalmente quando nossa parte favorita é cortada. Não foi meu caso, realmente amei.

O que dizer das atuações de Sam Claflin e Emilia Clarke? Eu já amava esses dois, então entendo se acharem que sou suspeita. 
Para quem assiste Game Of Thrones, é difícil imaginar que a Mãe dos Dragões, a não queimada, a Khaleesi, (entendedores entenderão) possa interpretar alguém tão doce, leve e desastrada como Louisa Clark. E ela fez isso da melhor maneira possível.
Melhor ainda foi Sam Claflin que deu vida a Will Traynor. Não deve ser fácil interpretar um tetraplégico. Sam soube se entregar ao papel e se "sentir a dor" do personagem que toma aquela decisão. Nos momentos mais leves, ele soube mostrar o lado romântico e aventureiro de Will (e fez muita gente se apaixonar por ele). Vi uma entrevista de Sam há um tempo e ele comentou como foi difícil entender a decisão de Will, mesmo "dando vida" ao personagem, mas no final entendeu os motivos.

Ah, outra coisa que amei no filme: o lugar! A cidadezinha é a coisa mais fofa!

Se você ainda não assistiu, pega um lencinho e corre pra ver! O filme é lindo mesmo. Só amor por Will e Lou. ♥

0

Dica de livro: Com Eu Era Antes De Você

"- Sabe de uma coisa? 
Eu podia passar a noite toda olhando para ele. Para o brilho no canto dos seus olhos. Para o lugar onde o pescoço encontrava o ombro. 
- O quê? 
- Às vezes, Clark, você é a única coisa que me dá vontade de levantar da cama".


Foto daqui


Hoje é dia daquele tipo de post atrasadinho, porque esqueci nos rascunhos e fiquei ausente por um tempo (longo demais). Desculpa, de novo!
Comprei o livro em 2015, bem antes de começarem a divulgar o filme, mas só comecei a ler em 2016 por total falta de tempo além de um TCC e uma lista enorme de outros livros para ler porque comprei antes.

Logo que comecei a ler, achei beeem sem gracinha, até o terceiro ou quarto capítulo mais ou menos. Depois disso, era quase impossível parar e soltar o livro. A Jojo Moyes soube criar a curiosidade necessária para dar AQUELA vontade de ler o tempo todo! Gostei tanto da autora que já comprei mais livros dela.

Como Eu Era Antes de Você (Me Before You) conta a história de duas pessoas que "se precisavam" sem saber disso e como uma pessoa pode transformar a vida de outra. Louisa Clark, tem 26 anos, não tem muitas ambições na vida e não consegue imaginar nada além do seu trabalho e da cidadezinha onde mora. Will Traynor tem 35 anos, era um profissional de sucesso, mas ficou tetraplégico após ser atropelado por uma moto. Essa nova realidade o tornou frio, infeliz e sem expectativas para o futuro. As coisas começam a mudar quando os caminhos se cruzam. Ela precisava aprender a viver. Ele precisava aprender a amar novamente.

Eu já chorei com livros antes, mas nunca ME ACABEI de chorar e quase precisei de terapia como aconteceu quando terminei este. É maravilhoso! Um dos melhores que já li! Mesmo sendo um drama, é impossível não se apaixonar pela história, por Lou e Will. É amor demais por eles. A única dica que dou para todos que me perguntam sobre o livro é: leia os últimos capítulos sozinho... vai me agradecer depois.

Pior foi minha ansiedade para ler o segundo livro "Depois de Você". Terminei o primeiro em março e ganhei o segundo de aniversário, em maio, mas por causa do TCC não pude ler antes. Mas... já li e voltarei para contar sobre ele em breve!

Como Eu Era Antes de Você fez tanto sucesso que virou filme em 2016. E o engraçado é que antes de começar a ler ou quando já estava lendo (não lembro exatamente), vi o trailer pela primeira vez e depois só conseguia imaginar Lou e Will como Emilia Clarke e Sam (lindo) Claflin. Aliás, o filme foi ótimo! Mas isso é assunto para outro post...