terça-feira, 7 de abril de 2015

0

Amigos, amigos, negócios à parte!

Foto daqui


Sabe quando você escreve com aquela intenção de que a pessoa em questão leia? Hoje tô assim. Só não vou chegar ao nível da tal pessoa, porque aprendi desde pequena a ter caráter e honrar com a minha palavra. Pra começar, “a pessoa”, na verdade, não é só uma. Você deve conhecer uma delas. E talvez eu não conheça a que você conhece. Mas não se preocupe... o texto vai te fazer lembrar de alguma situação ou de alguém. E nenhuma delas vale o que meu gato enterra.

Às vezes você gosta tanto dessa pessoa, tem uma consideração tão grande, que confia nela de olhos fechados e não mede esforços quando essa pessoa precisa de você.  E você dificilmente diz NÃO para um pedido dela. Aí vem algo que envolve dinheiro... tipo uma negociação do carro que você está vendendo. Ou um pedido de empréstimo do seu amigo empreendedor. E não há melhor teste para amizade do que dinheiro na jogada!

Essa pessoa compra seu carro, o outro recebe o dinheiro que pediu emprestado para seu negócio... ambos pedem um tempo considerável para pagar. Mas até aí tudo bem. Afinal é uma negociação entre amigos, né? O tipo de amigo que você considera um irmão. E amigos se ajudam, certo? Amigos entendem quando o outro está numa situação ruim, financeiramente falando. Mas é seu amigo e você confia nele de olhos fechados, lembra? Ele não faria nada para quebrar sua confiança. Nenhum deles. Pode confiar.

...Será mesmo?

Os anos passam, a situação financeira muda... e aquele carro? Sabe aquele que você vendeu para seu amigo de sua total confiança? E aquele empréstimo? Aquele que você fez desejando que seu amigo tivesse sucesso e acreditando quando ele disse que tinha tudo sob controle?

Continuam a mesma merda. Nenhum dos dois te pagou.

Mas, caramba, a situação financeira não tá boa pra ninguém. Você sabe bem disso e entende a situação dos seus amigos. Eles disseram claramente que estão quebrado$ e não tem a menor condição de te pagar. Durante todos esses anos a situação deles só piorou. Você tem paciência e espera mais tempo. Eles prometem que vão dar um jeito de te pagar pelo menos uma parte, aos pouquinhos mesmo, mas vão pagar, confie.

E aí vem a parte que consegue ser pior ainda...

Um está reformando a casa, viajando sempre que quer, com direito a casa na praia e tudo que tem direito. O outro está com o carro do ano, viajando, o negócio indo muito bem, obrigada. Sem contar o luxinho de ambos com coisas menores. Mas eles ainda não podem te pagar. A “verdade” é essa. E o dinheiro que te prometeram e tinham a obrigação de pagar? Eu diria que enfiaram no... , mas não foi isso. Eles enfiaram em tudo que quiseram gastar. Tudo que já escrevi em cima e outras coisas que nem imagino.

Moral da história: cuidado com quem você chama de amigo. Principalmente quando vai emprestar muito dinheiro ou vender algo para ele. Você pode acabar descobrindo a diferença entre amigo e filho da puta. A diferença gigante entre pessoa de confiança e gente sem caráter e sem palavra.

Mas não se preocupe. Tudo que você faz de bom e de ruim volta pra você. E vai voltar para essas pessoas.


Quero distância de gente assim. Dá nojo. E não tem coisa pior pra sentir por alguém.

Comentários: