sábado, 13 de fevereiro de 2016

0

É que antes eu sonhava mais...

Há 10 anos atrás, eu me imaginava bem diferente do que sou hoje. Eu ainda morava em São Paulo. Eu ainda tinha dois anjos de quatro patas que faziam festa quando eu chegava em casa. Eu pensava que meus amigos seriam sempre meus amigos, que eu poderia contar com eles em todos os momentos difíceis, que teria todos perto de mim para dividir as alegrias. Eu queria ser veterinária. Queria ter um lar para animais abandonados, até que alguém pudesse adotá-los. Eu brincava na rua, conversava na calçada até tarde com meus primos e amigos que cresceram comigo. Eu estava exatamente onde queria estar, mas um pedaço de mim já tinha se mudado para Recife. Eu queria ter um cavalo. Eu queria crescer logo. Queria trabalhar. Queria ter minha casa assim que completasse 18. Queria ter um carro também. Queria viajar pelo mundo. Queria conhecer Paris. E Toscana. E a Disney também. Queria ser fluente em inglês, italiano e francês. Eu queria fugir de casa (e desisti 1 minuto depois). Eu decidi contar para um amigo que gostava muito dele. E na véspera do meu aniversário de 13 anos, levei meu primeiro fora. Chorei no travesseiro achando que ia morrer, só parei quando peguei no sono. Prometi para mim mesma que só iria gostar de alguém quando fosse adulta. No outro dia estava ótima. Alguns meses depois me apaixonei. Algum tempo depois, quebrei a cara e demorei pra superar. Eu queria voltar para os meus 10 anos de idade, quando tudo parecia perfeito. Eu me apaixonei por frases de Clarice Lispector, Shakespeare, Fernando Pessoa, Mario Quintana e Carlos Drummond de Andrade. Eu criei um blog. Eu deletei o blog (e criei uns 4 até chegar a esse aqui). Eu percebi que amava ler. E também amava escrever. E era algo que me fazia um bem inexplicável.



E hoje vejo como as coisas mudaram. Como eu mudei. Como cresci e amadureci. Como o tempo me mostrou quem eram os meus amigos. Como eu fazia mais planos e sonhava mais. E daí que eram coisas difíceis? Tantas coisas boas (e ruins) aconteceram. E muitas delas foram bem diferentes do que eu esperava. Quebrei a cara muitas vezes. Chorei muitas outras vezes. Mas também sorri muitas e muitas vezes. E tudo isso me trouxe ao que sou hoje.

Todos nós, em algum momento, desejamos (e como!) voltar no tempo para algum momento especial das nossas vidas. Muitos pensam na infância, desejando ser criança de novo. A gente só esquece que essa criança ainda existe dentro de nós. E a gente esquece como é sonhar com tudo que queremos ter ou fazer um dia. Sempre lembramos de um obstáculo primeiro, de uma dificuldade. E daí que é difícil? Ninguém prometeu que as coisas seriam fáceis. Não importa se você tem 13, 23, 40, 55, 90 anos. Não deixe de sonhar por causa das dificuldades da vida. Sinceramente, essa é uma das coisas que sinto falta de 10 anos atrás. Eu sonhava mais, e não dava a mínima quando alguém tentava me desmotivar. Quando foi que perdi isso?

Comentários: